Teimosia

Padrão

Sara,

Não sei se a teimosia é algo que se herda através dos genes e como há vários teimosos na família, acho por bem escrever-te esta carta para te explicar que a teimosia em doses certas, pode levar-te a conquistar tudo o que quiseres, mas se for em exagero pode fazer com que percas tudo aquilo que mais queres e precisas.
A teimosia,quando é irmã da persistência, é uma qualidade a preservar. Quem persiste naquilo que quer e nos seus sonhos, pode torná-los reais. Persistência doseada com alguma inteligência é uma arma pacífica que conquista muitos castelos e reinos de encantar.
A teimosia, quando é prima da obstinação, não leva a lado nenhum e é irritante para as outras pessoas que lidam com ela. Ser obstinado é teimar em seguir sempre pelo mesmo caminho mesmo sem olhar os sinais que dizem para mudar de direcção, nem ouvindo quem os aconselha a tentar algo de novo. Ser obstinado não tem a ver com não querer desistir, tem a ver com uma certa insistência no orgulho, no achar que se tem razão, absolutamente razão e não ceder ao que os outros dizem. Nem sempre é por arrogância ou falta de humildade, é uma extrema dificuldade em dar o braço a torcer, a reconhecer que se pode enganar e que de vez em quando é preciso a ajuda externa de alguém para prosseguir.
Pensar no que se errou, não é dar parte de fraco, é ser-se inteligente porque se tenta ver o problema por outra perspectiva. Por exemplo, se todos dizem que precisas de ter cuidado com a tua alimentação porque as tuas análises estão más, teimares em alimentares-te da mesma forma só vai beneficiar o teu orgulho em detrimento do teu corpo. Se várias pessoas dizem que tens o mesmo problema, o melhor é tentares abrir a tua mente e ver se não estás cega devido às tuas crenças e saberes. Ouvir o que os outros dizem é sinal de maturidade, não de fraqueza e saber distinguir as opiniões sensatas das disparatadas é sabedoria.
Filha, espero que o gene da teimosia, se ele existe, não te faça perder sonhos, amigos e que não te corte as asas no dia em que quiseres voar. E se, por acaso, o tiveres, cá estarei para tentar abrir-te os olhos para outras realidades.
Adoro-te!
07.01.2013

Anúncios

Amadurecimento

Padrão

Sara,

Quando era adolescente, era uma pessoa conservadora, egocêntrica e insegura. Conservadora porque ainda não tinha prendido o suficiente na vida para saber que mais vale compreender do que julgar e que nem tudo o que pensamos estar certo é imutável. Egocêntrica porque vivia demasiado os meus pequenos dramas pessoais e fazia grandes filmes de pequenos pormenores insignificantes. Insegura porque não acreditava nas minhas capacidades e porque me preocupava demais com o que os outros poderiam de pensar de mim.
Conforme fui vivendo, crescendo e aprendendo, percebi que sendo mais tolerante com o ser humano, os seus defeitos e as suas falhas, sofreria menos decepções não esperando nada dos outros. Basta gostar e ser feliz por ainda se gostar das pessoas assim mesmo. Descobri que se me colocasse na perspectiva de outras pessoas, poderia perceber melhor o mundo e a forma de pensar dos outros. Compreendi que nem vale a pena comparar-me com ninguém porque há sempre melhor que eu e também muito pior, devemos viver para nos superarmos, tendo como base de comparação quem já fomos e quem queremos ser. Também sei hoje que devo confiar em mim e nas minhas capacidades, que não sou nenhuma super-modelo, nem uma super-heroína, e que por mais que me esforce a ser uma pessoa melhor vai haver sempre quem não goste de mim e vai sempre haver quem diga mal por dizer, porque não aprenderam a ser diferentes.
Filha, se Deus quiser, hei-de viver o suficiente para te acompanhar durante a tua infância e a tua adolescência para te ajudar a viver melhor e a sofrer menos com o que os outros te possam dizer ou fazer.
Adoro-te!
29.12.2012

Natal

Padrão

Sara,

Gosto da essência do Natal: a esperança que o (re)nascimento do Menino Jesus traz ao mundo, a paz e a alegria.Gosto do cheiro a canela, a aletria e a pão de Ló, de ouvir as canções e os sininhos a tocarem. Gosto do espírito de entre-ajuda e de partilha. Gosto dos tralalas e de andar com corninhos de rena ou de vestir o fato de Pai Natal. Gosto de tudo isso por ti e pelo teu irmão, do juntar a família à volta da mesa e sermos felizes.
Para isso, temos de andar no frenesim das prendas, no cansaço das limpezas, horas e horas em pé a cozinhar, a embrulhar coisas… E se fosse só isso? O que mais me custa é gastar aquilo que me faz falta por uns breves momentos, é a real hipocrisia de quem só tem tempo ou se lembra que existimos nesse dia, é ter de aturar pessoas de quem não gosto só porque é Natal…
Um dia, quero fazer algo diferente (porque sonhar não custa nada) e irmos passar o Natal à Disneyland Paris. Não seria fantástico?
E entretanto, ainda é dia 23 e ainda tenho muito que fazer… (Volta-se a sonhar dia 26)
Filha, nunca te esqueças do essencial: Natal é amor e esperança e tudo o resto é só acessório.
Adoro-te!

Amor pelos animais

Padrão

Sara,

Há muitas pessoas que não têm animais em casa. Dizem que sujam tudo, que não têm tempo para limpar, não têm dinheiro para os tratar ou que não querem estar presas, poderem ir de férias sem problemas e blablá. Têm uma certa razão. Na verdade, se não querem ter animais é melhor não os terem porque talvez nem sequer gostem deles.
Há muitas pessoas que se sentem desconfortáveis com animais porque é preciso ter alma de criança para se gostar deles sem reservas mentais, porque invadem o nosso espaço privativo, porque não se regem pelos códigos dos adultos e não sabem como reagir na presença deles.
Há muitas pessoas que têm medo de animais porque lhes foi transmitido por adultos ou porque foram mordidos, mas também nunca tentaram superar o medo ou nem tentaram gostar de outros animais diferentes.

O amor aos animais também está nos genes. Num tempo em que Portugal era um país pobre e sob ditadura, o teu bisavô paterno já gostava de animais e tinha cães, gatos e pássaros em casa. Durante a semana, comia-se o que havia e só aos domingos se comia carne, mas tiveram sempre em casa a companhia de animais.
Esse amor pelos animais foi sendo transmitido de geração em geração. Eu sempre tive animais em casa e de todo o tipo!
Na verdade, os animais ensinaram-me muito ao longo da minha vida. Os canários ensinaram-me que, desde que o dia siga à noite, vale a pena cantar porque acordamos mais um dia a respirar! Aprendi com os peixes que se estiveres a ser atacado, mais vale esconderes-te ou camuflares-te. Nem sempre ganhamos as lutas e podemos ser engolidos pelo mais forte. Com os gatos, descobri que estando ligada afectivamente a alguém, não devo deixá-la espezinhar-me porque temos de ter amor-próprio e orgulho em nós mesmos. Que só devemos estar no colo de quem nos estima e que a independência incomoda muita gente. Com os roedores, aprendi que não devemos comer tudo de uma vez e que o que se guarda para ser apreciar depois, tem mais sabor.
Quanto aos cães (ah os cães), ensinaram-me que não vale a pena preocupar-me com tudo porque sempre podemos ir passear, que é bom gostar de pessoas e de as tocar! Que devemos mostrar o que sentimos, ficando cabisbaixos quando estamos tristes ou saltando de alegria quando estamos felizes. Que todos os dias são dias para se brincar, andar com a língua de fora ao vento, que os prazeres da vida são os mais simples! Que devemos ser leais a quem gostamos mesmo quando cheiram mal, estão na fossa ou atravessam maus momentos!

Filha, dizes que quando fores grande, queres ser o Noé para construir uma arca e salvar os animais e o teu mano quer ser veterinário. O amor pelos animais vive em nós há gerações e é uma herança que não devemos desperdiçar.
Adoro-te!
15.12.2012

4

Padrão

Sara,

Gosto do número 4! É o meu número favorito! Gosto tanto do 4 como gosto do A. Gostava de tal forma do A e do 4 que os confundia quando era pequenina. o 4 é gémeo falso do A, parece que está sempre de perna cruzada, talvez instalado no sofá ou à saída de um pub irlandês para comprovar que uma Guinness não perturba a mente.
O 4 é também o número que representa melhor a Natureza. Há as 4 estações: Primavera, Verão, Outono, Inverno; os 4 elementos vitais: água, ar, fogo e terra e os 4 pontos cardeais: Norte,Este, Sul, Oeste.
O 4 também está presente no lúdico: havendo 4 pintas nas cartas: copas, ouros, espadas e paus(Em francês, cœur, carreau, pique et trèfle). Quanto à sua simbologia, o 4epresenta o equilíbrio e a plenitude através do quadrado e a sorte com o trevo de 4 folhas.
Na Bíblia, há os 4 Evangelhos. Na linguagem, fala-se de pregar aos 4 ventos, de viajar para os 4 cantos da Terra e das 4 dimensões espacio-temporais.
Daqui a pouco, vou fazer 44 anos no dia 4. Não há fotografias desse dia nem deve estar na memória de praticamente ninguém, mas o que realmente importa é que foi graças a esse dia 4 que tu nasceste e tu és o meu equilíbrio e a minha plenitude!
Adoro-te!
03.12.2012

Noé

Padrão

Hoje, no carro, fazendo a viagem Porto-Lisboa:
– Mamã, já sei o que quero ser quando for grande.
– Conta filha!
– Quero ser o Noé!
(Porque eu contei-lhe a história do Noé e tem um DVD)
– Para os levares na tua arca?
– Sim, mas eu não sei fazer uma arca…
– Não faz mal, filha, depois aprendes! 🙂

Mundo encantado

Padrão

Sara,

Há adultos que acham que as crianças não devem ser enganadas de pequeninas acerca do mundo encantado das histórias, da fada dos dentes e até do pai Natal porque, um dia, vão descobrir que é tudo fantasia e vão sofrer uma grande desilusão.
Há adultos que acham que o ideal é uma criança nunca ter amigos imaginários nem acreditar que os animais falam.
É verdade que há pessoas muito brutas e cruéis que podem desmanchar os sonhos de uma infância em poucos segundos e também que há quem acredite que só a lógica é que é válida enquanto a imaginação e a criatividade são actividades da treta.
Cada pessoa é que sabe de si e cada pai e mãe sabe de como há-de educar os seus filhos. Não sou nenhuma perita na matéria para os aconselhar. Porém, sei que enquanto acreditei em fadas e no pai Natal fui muito feliz e ainda hoje gosto de acreditar que há um mundo à parte que existe na minha mente, um mundo encantado de duendes e elfos, de seres sobrenaturais bondosos que lutam contra o mal e que o amor há-de ser mais forte que o medo e o ódio.
Filha, se depender de mim, partilharemos sempre esse mundo lindo das histórias de encantar com seres mágicos e espero que gostes de mim como eu gostava dos meus pais, que era até ao Pai Natal, o ser que eu acreditava estar mais longe de todos, porque eu hei-de adorar-te sempre!

25.11.2012